Crônicas de Raklot

O deus verde

Kairon, Kristryd, Gaultak, Zanne e Venorik estavam na taverna do velho anão Urum, em Dassanter quando um grupo de guardas portando o brasão do Conde Ormin apareceu trazendo um convite para um banquete em seu castelo. Inicialmente, os aventureiros acharam estranho serem convidados pelo nobre. Depois, movidos talvez pela curiosidade, decidiram comparecer. No castelo, onde foi servido um banquete, haviam mais seis aventureiros. Durante o jantar, o conde, um homem de seus quarenta anos de idade e aparência bastante respeitável, chamou um camponês que, um pouco intimidado pela presença de tantos mercenários, falou sobre os problemas nas minas de Forja de Ferro, uma aldeia minúscula situada ao norte. Trabalhadores estavam desaparecendo nas minas há dois meses e agora, poucos se aventuravam a extrair ferro do local. O conde então falou aos aventureiros e ofereceu um tesouro de 2000 moedas de ouro para os aventureiros que descobrissem e acabassem com o problema.

Um eladrin que estava presente pediu licença e partiu, recusando a proposta. Quatro mercenários aceitaram e um dragonborn marrom que estava ao lado deles levantou a mão confirmando que também iria ajudar. Os heróis decidiram juntar-se a eles e logo havia um grupo de onze pessoas prontas para entrar nas minas de Forja de Ferro.

Os quatro aventureiros partiram sem pedir mais detalhes ao conde, enquanto Zanne, carismática e sorridente, convenceu o senhor de Dassanter a falar mais sobre a missão. O dragonborn, que logo se apresentou como Arathon, disse que preferia ir com o grupo maior, pois suas chances de sucesso seriam igualmente maiores.

Então, depois de alguns preparativos, os seis aventureiros deixaram o castelo. Depois de um dia e meio de viagem, chegaram a Forja de Ferro onde souberam que os quatro “heróis” haviam entrado nas minas e não tinham sido vistos novamente.

Depois de descobrir mais algumas coisas, o grupo adentrou na escuridão das minas de ferro agora abandonadas. Depois de muita exploração, foram atacados por um grande grupo de kobolds. Os heróis lutaram bravamente mais uma vez e derrotaram as pequenas criaturas.

Algum tempo depois, ainda nos túneis da mina, os heróis enfrentaram gosmas e um cubo gelatinoso que por pouco não digeriu Zanne e Venorik. Esse combate foi intenso e o grupo teve que usar todas as suas habilidades e trabalho em equipe para vencer as terríveis criaturas. Horas depois, os aventureiros chegaram a uma saída que os levou até a Floresta das Aranhas. Lá, Gaultak encontrou pegadas de kobolds e sinais de luta. Essa trilha os levou diretamente a uma aldeia kobold na floresta. Os três humanos do grupo de aventureiros que deixou o castelo antes deles estavam mortos e presos no centro da aldeia.

Dezenas de guerreiros kobolds cercaram os heróis e foi Arathon quem salvou o grupo, intimidando o líder das criaturas em sua língua dracônica. Ele descobriu também que eram os kobolds que estavam sequestrando trabalhadores nas minas e usando-os em sacrifícios a um misterioso deus chamado Zarkishi.

Os kobolds deixaram que os aventureiros seguissem seu caminho e levantaram acampamento, com medo do que eles pudessem fazer.

Depois de algum tempo, os aventureiros chegaram ao “santuário” de Zarkishi. Na verdade, uma caverna que servia de covil para um jovem dragão verde. Cinco kobolds bem armados, entre eles um sacerdote do “deus verde” estavam confiantemente posicionados diante da caverna e, acima da mesma, um grande dragão verde aguardava os aventureiros com um olhar ameaçador.

O combate que se seguiu foi digno de histórias épicas. Enquanto Zarkishi atacava voando, os aventureiros se defendiam dos kobolds e demonstravam um trabalho em equipe excelente. Lutando lado a lado, Gaultak e Arathon enfrentavam os quatro guerreiros kobolds. Zanne e Kairon apoiavam o grupo entre duas grandes árvores, tentando proteger-se do dragão que, no início do combate havia ferido o tiefling gravemente.

Venorik e Kristryd lutavam bravamente a cada investida da criatura que a qualquer momento poderia agarra-los e arremessá-los contra as pedras da colina.

Os kobolds deram trabalho, principalmente seu líder, mas no fim Arathon o derrotou, na entrada da caverna. Nesse instante, Zarkishi pousou para atacar Kristryd. A guerreira anã usou um golpe de seu escudo para ferir uma das patas da criatura, fazendo-a tombar ruidosamente. Então, tomado por uma fúria implacável, Gaultak correu por toda a clareira e saltou uma longa distância, empunhando sua enorme espada de duas mãos para então cravá-la no ombro do monstro verde.

Zanne e Kairon usavam sua magia para atacar à distância, enquanto Kristryd, Venorik e Gaultak massacravam o dragão que tentava em vão ferí-los. No fim o último golpe foi do clérigo tiefling que invocou a fúria de seu deus e disparou um raio de energia divina contra o dragão verde, matando-o. Depois de um bom descanso na caverna da criatura, os heróis saíram com um bom tesouro, armas e outros itens mágicos e, claro, a carcaça da fera.

Ao chegarem às montanhas, de onde retornariam para Forja de Ferro pela mina, Gaultak avistou rastros que os levaram para uma trilha de onde puderam ver algo assombroso. Num vale no lado norte das motanhas, uma aldeia goliath havia sido queimada e, na noite, as fogueiras de um enorme exército ardiam, indicando algo maior ainda por vir… Fim…

Comments

juliocmbaia

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.